Pau Ferro

440
pau-ferro

Nome Comum: PAU FERRO

Nome Científico: Caesalpinia ferrea
Família: Fabaceae (Leguminosae)
Características Morfológicas: Árvore de grande porte (chega a medir ente 20 e 30 metros de altura). Possui tronco liso e descamante, que gira em torno de 50 a 80 centímetros de diâmetro.
Origem: Brasil.
Ocorrência Natural: Do Piauí até São Paulo, na floresta pluvial da encosta atlântica.

Encontrado do sudeste ao nordeste do Brasil, na Mata Atlântica, o pau-ferro é muito comum em praças, parques e ruas do país, sendo facilmente identificado por suas características físicas. O tronco é inconfundível: liso e cinzento quando jovem, aos poucos perde a casca em placas, tornando-se malhado. As flores são amarelas e pequenas e a floração ocorre no verão e no outono.

Deve-se evitar o plantio em calçadas, sob fiação elétrica e em locais de trânsito intenso de pessoas e carros, pois os galhos tendem a quebrar e cair em tempestades.  O pau-ferro é muito utilizado para o paisagismo por suas características ornamentais e de sombreamento, melífera, movelaria, construção civil

Para começar, o tronco é inconfundível, liso e cinzento, e que quando descasca torna-se todo malhado. Soma-se a isso, possui flores amarelas (floração que acontece de outubro a maio) e vagens duras e marrom-escuras.

Ecologicamente falando, a pau-ferro tem importância além de sua sombra e beleza. É uma árvore melífera, indicada no reflorestamento e recuperação de áreas degradadas, e também  usada como remédio na medicina popular (contra a anemia, contusões, diabetes e infecções pulmonares).

Tem crescimento rápido no campo (cerca de quatro metros em dois anos). Em recuperação de áreas degradadas, a espécie é uma excelente escolha por crescer bem em áreas abertas. Outra característica é a medicinal.

O porte da árvore é imponente e pode atingir até 30 metros de altura. A copa, arredondada e ampla, varia entre 6 e 12 metros de diâmetro. Já o tronco apresenta de 50 a 80 centímetros de diâmetro. Seu nome científico é Caesalpinia ferrea var. leiostachya Martius, em homenagem ao botânico e médico italiano Andrea Caesalpinio (1519-1603). A árvore também possui outros nomes comuns, como pau-ferro-verdadeiro, jucá, ibirá-obi, imirá-itá, muirá-obi e muiré-itá.

Mais informações podem ser obtidas no livro Árvores Brasileiras e no portal Como Plantar

SEM COMENTÁRIOS