Presidente do São Paulo diz que ajudará STJD em investigação do caso Maidana

320
carlos-alberto-de-barros-e-silva-são-paulo

O presidente interino do São Paulo e candidato único na eleição do próximo dia 27, Carlos Augusto de Barros e Silva, disse que colaborará com o STJD na investigação no caso do Iago Maidana. O zagueiro, que deixou o Criciúma e foi para o Monte Cristo, foi contratado pelo Tricolor apenas três dias depois. A negociação teve participação da empresa Itaquerão Soccer, procedimento que não é mais permitido pela Fifa.

“A investigação tem que ter toda profundidade necessária. Não pode haver boicote de documentos ou coisas menores. É preciso que seja feito de forma ampla, profunda e verdadeira. Vamos tentar evitar danos maiores dentro da verdade, do que a lei nos permite. Não acho que o caso tenha tamanho e gravidade suficientes para penas muito severas. Talvez a gente consiga atenuar isso, confio muito no profissional que cuida do caso”, declarou na chegada da delegação são-paulina ao Morumbi para o duelo contra o Vasco.

Leco também preferiu não adiantar quem serão os responsáveis por cuidar do futebol durante a sua gestão. Até aqui, Ataíde Gil Guerreiro voltou à vice-presidência, José Eduardo Chimello foi mantido, e Gustavo Vieira de Oliveira será convidado para voltar ao clube. Alexandre Bourgeois, ex-CEO, também pode retornar ao Morumb.

“Nenhuma definição será feita agora. Não me adiantarei a esse respeito. Vou discutir com todos eles, com gente séria, o São Paulo exige que se trate das coisas serenamente, ouvindo e vendo o que for melhor para o clube. Todos vão ficar por enquanto”, finalizou

SEM COMENTÁRIOS