Raiz de Salsa (Petroselinum crispum)

344
raiz-de-salsa

As raízes de salsa comidas como nabos têm sido usadas em doenças renais e inflamações da próstata porque activam o aparelho urinário. Sendo diurético será bom para prevenir pedras renais (litíase) e cistites.  Uma infusão de raízes e sementes pode ser tomada após o parto para estimular a lactação e para contrair o útero;

As folhas e raízes da salsa são populares como condimentos e decoração de pratos no mundo inteiro. Seu uso medicinal também é antigo. No Líbano, a salsa é um dos ingredientes principais do prato nacional, tabule.

  • Laxativo suave;
  • Anemias e convalescenças;
  • Para infecções oculares;
  • em sumo pode aliviar dores de dentes ou de ouvidos;
    –  previne a queda de cabelo e caspa;

Modo de conservar : As raízes da salsa cortadas em pedaços, as folhas e os frutos-sementes devem ser utilizados frescos ou secos, em local ventilado e sem umidade. Conservar em vidros escuros ou sacos de papel, em separado.

Origem : A salsa é originária da Europa meridional; foi trazida para o Brasil no início da colonização.

Propriedades da Salsa : Emenagoga, diurética, vasodilatadoras e tonificante.

Indicações : A salsa é indicada para combater a retenção de líquidos, celulite, insuficiência cardíaca, urina escassa, insuficiência renal, inapetência, anemia, esgotamento físico, dismenorréias. Tanto a raiz como as folhas e talinhos da salsa podem ser usados em chá diurético, estimulante, emenagogo e fortificante.

Principios Ativos da Salsa: Vitaminas: A, B, C e K; Sais minerais: cálcio, ferro; Óleo essencial: apiol e míristicina; Carotenóides; Psoraleno e compostos relativos: ficusina, bergapteno, majudina, e heraclina; Furocumarínas antimicrobiais: psoraleno, 8-metoxipsoraleno, 5-metoxipsoraleno, oxipeucedanina, e tsopimpinelina; Glicosídeos estrogénícos de flavona: 6″-acetilapina e petrosídeo.

SEM COMENTÁRIOS